Chico Alencar participa de ciclo de debates sobre transparência na Câmara

Chico Alencar, sentado ao lado dos participantes no debate sobre transparência dos gastos públicos

Nesta quinta-feira (30), o deputado Chico Alencar participou do 2° Ciclo de Debates promovido pela Secretaria da Transparência, na Câmara dos Deputados. O evento teve como foco central o debate sobre o controle social e institucional dos gastos públicos.

O parlamentar compartilhou o painel com a deputada Erika Kokay (PT), Deyvid Pereira, assessor de orçamento da Câmara, e a Regina Lemos, do Ministério da Gestão e Inovação.

Chico apontou que a transparência deve ser intrínseca à atividade pública, não algo excepcional. Para ele, “A democracia é um regime de transparência e esse é o melhor antídoto contra a corrupção e o desvio”, ressaltou.

Ao abordar o contexto brasileiro, ele ressaltou que embora o país seja um dos países com maior nível de transparência no orçamento, conforme indicado pela Pesquisa Budget Partnership, enfrenta desafios significativos em termos de participação social e engajamento público nesse tema. “Possuímos um imenso potencial, mas é imperativo avançarmos ainda mais na promoção de uma participação social ativa”, enfatizou.

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Twitter
Telegram
Email

Leia também:

Casa de madeira quase inteiramente submersa com as enchentes. Para fora da água apenas o telhado.

Sinais dos tempos

A Comissão para Ecologia Integral e Mineração da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em nota, solidariza-se com as pessoas e comunidades do Estado do Rio Grande do Sul.

CARTA ABERTA AO COMANDANTE DA MARINHA SOBRE A REVOLTA DA CHIBATA

A inscrição do nome de João Cândido Felisberto, líder da Revolta contra a Chibata, em 1910, no Livro de Heróis da Pátria, já aprovada no Senado (PL 340/2018), está em análise na Câmara dos Deputados, onde tramita (PL 4046/21).

V. Exa. entrou no debate, enviando uma carta ao presidente da Comissão de Cultura, deputado Aliel Machado (PSB/PR). É legítimo, a Casa do Povo tem que ser sempre democrática.

Rolar para cima