O DE CÉSAR. E O QUE É MAIS, DE DEUS

“Tributo a César” - Peter Paul RUBENS

(Breve reflexão para cristãos ou não)

Exploradores da fé, para quem “templo é dinheiro”, e mercadores da religião, enganadores, já existiam no tempo de Jesus.

Aliás, foram eles, junto com os chefes do Império Romano, que o levaram à prisão, tortura e morte.

Cinismo, hipocrisia e armadilhas políticas já existiam na época de Cristo.

Frente a elas, aos planos dos fariseus de “apanhar Jesus pela palavra”, era preciso ser sagaz. Manter a simplicidade, sem ser ingênuo.

Assim Jesus o foi, diante da cilada dos inimigos, homens do dinheiro e do poder (Mt 22, 15-21).

Driblou a pergunta maldosa sobre pagar ou não o tributo a César. Respondeu “com a mesma moeda” aos que queriam indispô-lo com o povo extorquido pelos impostos.

Jesus ficou na “objetividade” do ouro e da prata, no mundinho medíocre que seus idiotas contendores entendiam: o da moeda, da matéria idólatra. Usou os contravalores tacanhos e possessivos da esfinge do Imperador: “deem a ele o que é dele”.

Mas não escondeu a ira santa: “Hipócritas! Por que vocês me tentam?”. Fez o contraponto: “a Deus o que é de Deus”. Mostrou a outra face, luminosa, da “moeda” da vida.

A César, ao poder dominante, o que ele gerava: tributo de opressão, exploração, medo, mentira, dissimulação, falsidade.

A Deus, uma outra postura na existência e frente ao poder: a gratuidade da libertação, respeito, coragem, franqueza, sinceridade, dignidade. Contrapoder!

Os “partidários de Herodes” ficaram desconcertados e foram embora! Tramando, perversos: “só matando!”.

O seguimento de Jesus (e do humanismo) nos coloca “como ovelhas no meio de lobos”. E exige sermos “prudentes como as serpentes e puros e simples como as pombas” (Mt 10, 16).

Sejamos!

Imagem: “Tributo a César” – Peter Paul RUBENS (1577-1640)

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Twitter
Telegram
Email

Leia também:

zedassilva thumb

Espionagem: não esquecer!

Apresentamos um Requerimento de Informação à Casa Civil sobre a espionagem ilegal da Abin!

425556102 951663066315270 1029424154954920309 n

DOENTES E… CURÁVEIS!

Foi no cotidiano, na casa simples de Pedro e André, que Jesus fez um gesto de ternura, um milagre: dá a mão à sogra de Pedro, acamada e febril, e ajuda a erguê-la. Ela fica imediatamente sã. Pronta para servir, que é a razão de existir.

Sliman Mansour (pintor palestino)

MISSÃO DE GRANDEZA, AQUI E AGORA!

Caminhando, na tristeza de saber que seu primo João Batista tinha sido preso (por denunciar os podres poderes de seu tempo), Jesus supera a dor chamando humildes pescadores para uma missão de grandeza: “pescar” pessoas.

Rolar para cima