“A ESSÊNCIA NÃO MUDA” (“La essencia no cambia” – Gabriel Garcia Márquez)

Bolsonaro está numa fase de “bom mocismo”, quietinho. Mero cálculo eleitoral, em função da impopularidade atual.

Mensagens de WhatsApp que enviou na última semana paraseus círculos de influência mostram que continua o mesmo de sempre: espalhou fake news sobre malefícios da vacinação (!!!), fez menções homofóbicas e reproduziu fala do general fascistóide Pinochet, chefe do golpe que derrubou o presidente eleito Allende, no Chile, e instaurou um regime de terror e corrupção. Pinochet também vivia da retórica anticomunista rasa e, condenado e preso em vida, segue, mesmo morto, na galeria dos “ídolos” da extrema-direita.

Em 11 de setembro de 1973, quando do golpe no Chile contra o governo da Unidade Popular, não tinha zap e esses outros meios reveladores de Comunicação. O mesmo Gabriel Garcia Márquez cuja frase intitula esse texto mandou um telegrama para o general sanguinário: “a humanidade se envergonha de ter em suas fileiras uma besta como Vossa Excelência”.

A consideração do Prêmio Nobel de Literatura se encaixa à perfeição em vários homens públicos da atualidade.

Sábado é dia de repetirmos isso, em imenso coral, no Rio, no Brasil, no mundo inteiro.

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Twitter
Telegram
Email

Leia também:

Casa de madeira quase inteiramente submersa com as enchentes. Para fora da água apenas o telhado.

Sinais dos tempos

A Comissão para Ecologia Integral e Mineração da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em nota, solidariza-se com as pessoas e comunidades do Estado do Rio Grande do Sul.

CARTA ABERTA AO COMANDANTE DA MARINHA SOBRE A REVOLTA DA CHIBATA

A inscrição do nome de João Cândido Felisberto, líder da Revolta contra a Chibata, em 1910, no Livro de Heróis da Pátria, já aprovada no Senado (PL 340/2018), está em análise na Câmara dos Deputados, onde tramita (PL 4046/21).

V. Exa. entrou no debate, enviando uma carta ao presidente da Comissão de Cultura, deputado Aliel Machado (PSB/PR). É legítimo, a Casa do Povo tem que ser sempre democrática.

Rolar para cima