“O QUE ESTÁ QUEBRADO PODE SER RECUPERADO”(Enquanto o papa pede prece e solidariedade geral, um chefe religioso brasileiro “ora” pela morte de Paulo Gustavo!)

Em mensagem aos bispos católicos, através da CNBB – “peço desculpas por não falar em português, mas vs. entenderão meu portunhol” – o papa Francisco lembrou que o povo brasileiro “enfrenta uma das provas mais difíceis de sua História, a pandemia do coronavírus, que afeta a todos, ricos e pobres, jovens e idosos”.

Reiterou o dever do consolo e da solidariedade, principalmente para com os que sequer podem acompanhar seus entes queridos nos leitos dos hospitais e fazer a última despedida : “chorar com os que choram e estender a mão, sobretudo para os mais necessitados”.

Francisco afirmou que é preciso enfrentar “outros vírus que infectam a Humanidade, como o da indiferença, derivado do egoísmo, que gera a injustiça social”. Pediu, da parte dos bispos católicos, o exemplo do “despojamento e da promoção da fraternidade”.

Mencionou a Negra Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, que muito o impressionou: “a imagem quebrada, encontrada no fundo do rio, simboliza que é possível juntar o que está quebrado, partido”.

Assim seja e sejamos. Apesar dos que não têm sensibilidade humana e são aliados do vírus e do ódio… Como o pastor José Olímpio, da Assembleia de Deus (AL), que postou uma foto do ator Paulo Gustavo, em estado gravíssimo por causa da Covid, e escreveu: “E você, vai orar ou rezar por ele? Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si”.

Nesse fim de semana chegaremos a 370 mil famílias enlutadas!

Francisco no Quênia, antes da pandemia

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Twitter
Telegram
Email

Leia também:

Casa de madeira quase inteiramente submersa com as enchentes. Para fora da água apenas o telhado.

Sinais dos tempos

A Comissão para Ecologia Integral e Mineração da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em nota, solidariza-se com as pessoas e comunidades do Estado do Rio Grande do Sul.

CARTA ABERTA AO COMANDANTE DA MARINHA SOBRE A REVOLTA DA CHIBATA

A inscrição do nome de João Cândido Felisberto, líder da Revolta contra a Chibata, em 1910, no Livro de Heróis da Pátria, já aprovada no Senado (PL 340/2018), está em análise na Câmara dos Deputados, onde tramita (PL 4046/21).

V. Exa. entrou no debate, enviando uma carta ao presidente da Comissão de Cultura, deputado Aliel Machado (PSB/PR). É legítimo, a Casa do Povo tem que ser sempre democrática.

Rolar para cima