MASSACRE NÃO PODE VIRAR ROTINA!

10177394_685525278216393_2206460136413412770_n

23 jun MASSACRE NÃO PODE VIRAR ROTINA!

Na noite de quarta (17), nove pessoas foram mortas a tiros em uma histórica igreja da comunidade negra em Charleston, na Carolina do Sul (EUA). Crime abominável de ódio racial e religioso, praticado por um jovem ‘crente’ na supremacia branca, certamente inoculado por ideias de extermínio do que não lhe ‘agrada’. Fosse um negro ou descendente de árabes já seria suspeito de ‘terrorismo’.

Anthea Butler, professora de religião da Universidade da Pensilvânia, pede atenção à cobertura da mídia norteamericana: “não se vê o atirador Roof descrito como um ‘possível terrorista’. Ele vai ser humanizado, chamado de doente ou vai virar vítima de maus-tratos (…) Espero que os repórteres se questionem: onde este homem aprendeu a odiar tanto os negros? Será que ele foi influenciado por este retrato pintado de que afroamericanos são preguiçosos e violentos?”

O pré-candidato republicano à presidência dos EUA, ex-governador do Texas, Rick Perry, disse que o massacre “foi um acidente”, acrescentando que ele não pode fazer avançar a “agenda antiarmas”!!!

Essa figura criticava o presidente Obama por ter manifestado preocupação com o fato dos Estados Unidos facilitarem tanto a venda de armas de fogo: “agora é o momento de vivenciar o luto e o processo de cura, mas sejamos claros: em algum momento nós, como país, teremos de encarar o fato de que esse tipo de violência em massa não acontece em outros países desenvolvidos”, disse.

Para Edward Lorenz, “um simples bater de asas de uma borboleta poderia influenciar o curso natural das coisas e, assim, talvez provocar um tufão do outro lado do mundo”. Não sabemos se esta teoria é verdade, mas com certeza sentimos uma dor forte no peito cada vez que acontecem tragédias desse tipo em qualquer parte do mundo. Seguimos na luta, agora também por vocês.

Sem comentários

Poste um comentário