As negatividades do voto sim ao impeachment

17 abr As negatividades do voto sim ao impeachment

1. Representa, também pelo apoio entusiástico de saudosistas da ditadura, desprezo ao voto popular direto dado há 1 ano e meio (um sim aos valores antidemocráticos);
2. É defendido por corruptos que, agora, clamam contra a corrupção (um sim à hipocrisia);
3. É conduzido pelo primeiro deputado-réu da Lava Jato, Eduardo Cunha, denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro (um sim ao cinismo);
4. É louvado por fundamentalistas e homofóbicos que não têm pudor de usar o nome de Deus em vão, e jogam sobre quem diverge sua “maldição” (um sim à intolerância);
5. É embandeirado por patriotas de ocasião, que se julgam donos da Nação, mas querem entregar, por exemplo, nosso pré-sal, biomas e recursos minerais (um sim ao embuste);
6. Será dado por todos os que querem destruir culturas e terras indígenas e quilombolas, direitos de minorias e trabalhistas, desvincular receitas da Saúde e Educação e criminalizar os movimentos sociais (um sim ao reacionarismo);
7. Reúne grande número de investigados por diversos crimes e irregularidades que, se vitoriosos, buscarão modos e meios de controlar a Lava Jato (um sim à impunidade);
8. Tem a adesão entusiasta de políticos fisiológicos e clientelistas, da base do governo até há pouco, que não querem mudar absolutamente nada no sistema político do qual se beneficiam (um sim ao oportunismo);
9. Sustenta-se em “pedaladas jurídico-legislativas”, baseadas em manobras contábeis de uso corriqueiro por todos os governantes (um sim às chicanas);
10. Está emoldurado pelo discurso enganoso da “mudança”, quando não há a mínima proposta de revisão do modelo econômico e de reforma do sistema político. É um sim à continuidade do abismo entre Estado e sociedade. Sim à “mudança” para manter tudo como está. Mais do mesmo. Um sim destituído de esperança, carente de utopia (um sim à mentira).
A história julgará.

Chico Alencar (PSOL/RJ)
Plenário Ulysses Guimarães, Brasília (DF), 17 de abril de 2016

Sem comentários

Poste um comentário